Bruxelas quer forçar governo da Hungria a recuar na lei de proteção da criança

por LMn | MTI

A esquerda liberal e Bruxelas estão a utilizar cada vez mais meios para forçar o governo a recuar na Lei de Proteção da Criança, disse o Secretário de Estado Parlamentar do Ministro sem pasta para as famílias num vídeo publicado na página do governo no Facebook na quinta-feira.

Róbert Zsigó salientou que, para além de ataques políticos, ataques dos meios de comunicação e processos de infração, Bruxelas já está a “chantagear” financeiramente a Hungria: está a reter os financiamentos destinados à Hungria.

“Estão a ameaçar-nos em vão, estão a chantagear-nos em vão, mas não permitiremos ativistas LGBTQ em jardins de infância e escolas”, salientou o Secretário de Estado.

Acrescentou que o governo insiste na necessidade de refrear a propaganda sexual cada vez mais agressiva dirigida às crianças, e a consulta nacional está a ajudar nesse sentido, com 97% dos inquiridos a concordar com o governo nesta matéria.

“O governo assumirá, por conseguinte, qualquer debate sobre a lei. Uma lei que nada mais faz do que proibir a propaganda sexual dirigida às crianças em jardins de infância, escolas e meios de comunicação social”, disse o político.

Róbert Zsigó continuou que o governo planeia fazer do povo húngaro o primeiro na Europa a poder dizer o que pensa num referendo nacional. “Entretanto, lutaremos todas as batalhas para proteger as crianças húngaras”, disse o secretário de estado.

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade