Braga: A Arca de Noé das Sementes

por LMn
image_pdfimage_print

Banco Português de Germoplasma Vegetal (BPGV) tem como missão colher, conservar, caracterizar, documentar e valorizar os recursos genéticos, de modo a assegurar a diversidade biológica e a produção agrícola sustentável, atual e futura, através de dois objetivos estratégicos:

  • A conservação in situ e ex situ dos recursos genéticos;
  • O apoio à implementação de políticas relativas à proteção da biodiversidade;

Foi com o propósito de se tornar uma estrutura de conservação da diversidade genética vegetal que o BPGV nasceu em Braga, em 1977. O seu caminho prosseguiu guiado pelas linhas de orientação de importantes estruturas internacionais como: a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), o International Board for Plan Genetic Resources (BPGR), atualmente Bioversity International, e no âmbito da implementação do Programa de Conservação dos recursos Genéticos Vegetais do Mediterrâneo.

O Banco Português de Germoplasma Vegetal é hoje uma das maiores infraestruturas de conservação de recursos genéticos do mundo, guardando uma coleção de mais de 47 mil amostras de 150 espécies e 90 géneros de cereais, plantas aromáticas e medicinais, fibras, forragens, pastagens e culturas hortícolas.

O Segundo Relatório sobre a Situação dos Recursos Fito-genéticos do Mundo, relatório da FAO (Food and Agriculture Organization) publicado em 2010, refere que Portugal, e muito especificamente o BPGV, conserva a 2ª maior coleção de milho, a nível mundial. É, ainda, um dos 170 bancos do mundo com mais de 10 000 variedades conservadas, colocando-o nos 10% de topo.

A conservação de uma ampla base de agro-biodiversidade é fundamental no desenvolvimento sustentável dada a sua relevância para a saúde pública, a segurança alimentar, a economia dos povos e a proteção do ambiente, sendo objeto de uma transversalidade de interesses que envolvem, entre outras, as áreas da Agricultura, Ambiente, Ciência e Economia.

A biodiversidade para a alimentação e agricultura é um dos recursos naturais mais importantes para a humanidade. Conservá-la não é uma opção mas sim uma necessidade e uma responsabilidade a nível global mas também de cada país em particular.

A valorização dos recursos endógenos é hoje uma aposta nas estratégias de desenvolvimento local, a fim de garantir a fixação das populações rurais em territórios outrora povoados, garantindo novas formas de ruralidade. São exemplos destas estratégias a introdução de produtos de alta qualidade ou mesmo os vários produtos com denominação de origem protegida, indicação geográfica com origem nacional.

Importa não esquecer que os recursos genéticos – o património genético constituído pelos recursos tanto silvestres quanto domesticados, desempenham um papel fundamental e crescente em muitos sectores económicos. Um conjunto alargado de intervenientes, incluindo investigadores do mundo académico e empresas de diferentes sectores da indústria, horticultura, controlo biológico, cosmética, alimentação e bebidas, biotecnologia e indústria farmacêutica, utilizam recursos genéticos para fins de investigação e desenvolvimento e inovação.

Com os olhos postos no futuro e com a consciência de que novos desafios surgirão, o BPGV assume a sua confiança e responsabilidade na partilha de conhecimento, como contribuição para um mundo assente na sustentabilidade dos recursos biológicos de todos nós.

 

Créditos: INIAV

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade