As autarquias e o governo de Orbán. Mesmo no Natal e com Pandemia, a luta continua

por LMn

O golpe final? Autarcas apelam a Orbán para que retire a decisão de reduzir para 50% o imposto empresarial local

O Presidente da Câmara de Budapeste Gergely Karacsony e 37 Presidentes de Câmaras Municipais de diversos pontos da Hungria e da grande maioria dos distritos (bairros) de Budapeste, exigiram neste domingo, numa declaração conjunta, que o governo retirasse a decisão do governo central de reduzir para metade o imposto empresarial local.

O PM Viktor Orbán decidiu que o imposto empresarial local seria reduzido para metade para as pequenas e médias empresas e para os empresários em nome individual a partir de 1 de Janeiro.

A declaração emitida pela organização denominada de “Aliança das Cidades Livres” escreve que esta mudança seria um “golpe final” para as autarquias locais. “Não tem nada a ver com a gestão da crise económica em consequência da pandemia mas sim com a política de poder da Fidesz”.

Como sinal de protesto, os presidentes de câmara disseram que as suas cidades apagariam as suas luzes festivas de Natal a partir das 19 horas do dia 23 de Dezembro, a fim de chamar a atenção das pessoas para a importância dos serviços públicos oferecidos pelas autarquias locais.

Os municípios utilizam as receitas fiscais provenientes das empresas locais em toda a Hungria para assegurar serviços públicos, transportes locais, recolha de lixo, manutenção de estradas, iluminação pública e o cuidado de áreas verdes.
As receitas são também utilizadas para pagar apoio social, financiamento de teatros e outras actividades culturais e desportivas, acrescentaram.

Os presidentes da câmara disseram esperar que a compensação prometida pelo Primeiro-Ministro Viktor Orbán às cidades com mais de 25.000 residentes seja distribuída arbitrariamente, numa base política partidária.

  • O apelo conjunto dos presidentes de câmara, foi assinado por
  • Gergely Karácsony presidente da câmara de Budapeste
  • László Botka, presidente da câmara de Szeged
  • András Nemény, presidente da câmara de Szombathely
  • Péter Márki-Zay, presidente da câmara de Hódmezővásárhely
  • László Csőzik, presidente da câmara de Érd
  • Attila Péterffy, presidente da câmara de Pécs
  • Tamás Pintér, presidente da câmara de Dunaújváros
  • Ilona Szűcsné Posztovics, presidente da câmara de Tatabánya
  • Klára Nyirati Klára, presidente da câmara de Baja
  • István Leidinger, presidente da câmara de Pomáz
  • Zsolt Fülöp, presidente da câmara de Szentendre
  • György Gémesi, presidente da câmara de Gödöllő
  • Péter Szitka, presidente da câmara de Kazincbarcika
  • Péter Hegedűs, presidente da câmara de Balmazújváros
  • Tamás Wittinghoff, presidente da câmara de Budaörs
  • József Tóth, presidente da câmara de Polgár
  • Antal Máté, presidente da câmara de Nyírbátor
  • György Fülöp, presidente da câmara de Tiszaújváros
  • Béla Schwartz, presidente da câmara de Ajka
  • Róbert Lengyel, presidente da câmara de Siófok
  • Csaba Balogh, presidente da câmara de Göd
  • Gábor Üveges, presidente da câmara de Hernádszentandrás
  • Miklós Hatvani, presidente da câmara de Isaszeg
  • István Vécsi, presidente da câmara de Ricse
  • Márta V. Naszályi, presidente da câmara de I. Distrito de Budapeste
  • Gergely Örsi, presidente da câmara de II. Distrito de Budapeste
  • László Kiss, presidente da Câmara Municipal de III. Distrito de Budapeste
  • Tibor Déri, presidente da Câmara Municipal de IV. Distrito de Budapeste
  • Tamás Soproni, presidente da câmara de V. Distrito de Budapeste
  • Péter Niedermüller, presidente da câmara de VII. Distrito de Budapeste
  • András Pikó, presidente da Câmara Municipal de VIII. Distrito de Budapeste
  • Krisztina Baranyi, presidente da Câmara Municipal de IX. Distrito de Budapeste
  • Imre László, presidente da Câmara Municipal de XI. Distrito de Budapeste
  • József Tóth, presidente da câmara de XIII. Distrito de Budapeste
  • Csaba Horváth, presidente da Câmara Municipal de XIV. Distrito de Budapeste
  • Angéla Cserdiné Németh, presidente da Câmara Municipal de XV. Distrito de Budapeste
  • Sándor Szaniszló, presidente da Câmara Municipal de XVIII. Distrito de Budapeste
  • Péter Gajda, presidente da Câmara Municipal de XIX. Distrito de Budapeste

 

Fonte: 24.hu /Daily News Hungary

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade