Angola plantou este ano um milhão de mangues para reflorestamento dos mangais

por LMn | Lusa

Angola plantou este ano um milhão de mangues, no quadro de uma campanha de reflorestamento das zonas de mangais em toda a orla costeira angolana, divulgou hoje o Governo.

De acordo com um comunicado de imprensa da vice-presidência de Angola, na terça-feira foram plantados cerca de 50.000 mangues, na comunidade do Quilómetro 26, comuna do Ramiro, tendo assim o país atingido a meta de plantação um milhão de mangues.

O desafio para a plantação de um milhão de mangues até dezembro deste ano foi lançado à sociedade angolana pelo vice-presidente da República, Bornito de Sousa, durante o primeiro Workshop sobre Zonas Húmidas de Interesse Internacional, por ocasião do Dia Nacional do Ambiente, realizado em fevereiro passado.

O mesmo apelo foi lançado à sociedade durante a Conferência sobre o Reforço dos Compromissos Políticos para a Melhoria e Conservação dos Mangais em África, iniciativa coorganizada pela União Africana e Governo angolano, no quadro da celebração do Dia Africano do Ambiente e Dia de Wangari Maathai.

Na altura, Bornito de Sousa defendeu ser necessário cuidar dos poucos mangais que ainda restam.

“E aí onde, por ação humana, direta ou indireta, deixaram de existir: vamos restaurar os mangais!”, referiu o vice-presidente angolano, em fevereiro deste ano.

De acordo com a nota, durante meses foram realizadas várias campanhas em Luanda, Bengo, Benguela, Cabinda e Zaire, envolvendo entidades públicas e privadas, voluntários, organizações nacionais, com destaque para a Organização Otchiva, que lidera o processo de mobilização da sociedade civil e parceiros.

“O posicionamento das autoridades angolanas face às questões climáticas, em particular os ecossistemas de mangais, tem servido de exemplo e inspiração para outras lideranças africanas e para o mundo inteiro, conforme referiu a União Africana”, sublinha o comunicado.

Em face deste processo, o Presidente angolano, João Lourenço, foi recentemente distinguido com um prémio “pela sua dedicação às questões de defesa do Ambiente, em Washington, Estados Unidos da América, durante a Gala anual da International Conservation Caucus Foundation (ICCF)”.

“A 23 de outubro último, o Presidente João Lourenço, acompanhado da primeira-dama, Ana Dias Lourenço, participou numa campanha de plantação de mangues, no mesmo dia em que testemunhou a assinatura do acordo entre a Sonangol e a Organização Otchiva para o projeto “Sonangol Carbono Azul”, que tem impulsionado a restauração dos mangais com o envolvimento das comunidades locais”, salienta a nota.

Mais de 200 voluntários mobilizados pela Otchiva estiveram terça-feira no terreno envolvidos na plantação dos cerca de 50.000 mangues.

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade