A Semana (A Hét): Hungria Olímpica – Hungria Unida

por András Gellei

Jogos Olímpicos e Unidade do País

São muito escassas as situações, em que nós, húngaros, estamos unidos e remamos todos para o mesmo lado. Apoiar os nossos atletas que participam nos Jogos Olímpicos é um desses momentos quase únicos de unidade, um verdadeiro milagre: quando o que conta é a Hungria – Magyarország e os seus desportistas que a representam, levam e elevam o nome e a bandeira da Hungria nas provas das diferentes modalidades, em competição com atletas de outros países do mundo.

Este ano 176 atletas húngaros foram selecionados e viajaram a Tóquio, número superior às últimas duas olimpíadas de Londres (2012) e Rio de Janeiro (2016). De sublinhar que em Tóquio2020 (realizado em 2021) são 205 os países presentes.

Um pouco de História da Hungria nos Jogos

A Hungria participou pela primeira vez nos Jogos Olímpicos em 1896, e desde então, com 2 exceções – em 1920, em que foi impedida de estar presente (tal como a Alemanha, Áustria, Bulgária e Turquia) pelos países vitoriosos da Primeira Guerra Mundial e em 1984 (Los Angeles) devido ao boicote e em demonstração de solidariedade com a URSS não participou -, esteve presente em todos os Jogos Olímpicos de Verão.

Hungria grande destaque: 8º no quadro do total de medalhas dos Jogos Olímpicos de Verão 

Hungria: Total Medalhas Olímpicas (até 2016)

Ouro  Prata  Bronze  Total
175    147    169        491

Medalhas da Hungria nos Jogos Olímpicos de Verão/Ano

Jogos – Ouro – Prata – Bronze – Total

1896 –  2        1          3               6
1900 –  1        2          2               5
1904 –  2        1          1               4
1908 –  3        4          2               9
1912 – 3         2          3               8
1920 – Não participou
1924 – 2         3          4               9
1928 – 4         5          0               9
1932 – 6         4          5              15
1936 – 10       1          5              16
1948 – 10       5         12             27
1952 – 16      10        16             42
1956 – 9        10         7              26
1960 – 6        8           7              21
1964 – 10      7           5              22
1968 – 10     10         12             32
1972 – 6       13         16             35
1976 – 4       5           13             22
1980 – 7      10          15             32
1984 – Não participou
1988 – 11     6           6               23
1992 – 11    12          7               30
1996 – 7      4           10              21

2000 – 8      6           3                17

2004 – 8      6           3                17

2008 – 3      5           2                10

2012 – 8      4           5                17

2016 – 8      3           4                15

Modalidades que mais contribuíram para os resultados da Hungria

Ouro Prata Bronze Total
1. Esgrima       38     24      28        90
2. Natação       29     25      20        74
3. Canoagem   25     29      26        80
4. Luta livre     19      16      19        54
5. Ginástica     15      11      14        40

Hungria: Potência Olímpica?

As estatísticas não enganam! As estatísticas dos Jogos Olímpicos continuam a colocar a Hungria – como se viu na oitava posição – entre uma das grandes potências olímpicas.

Em duas palavras, de destacar que nos anos 1950-1960, a Hungria, foi nesse período, uma das 3 principais potências olímpicas. Mesmo nas décadas seguintes (anos 70 e 80) foram anos de ouro para o nosso país.

Com a ascensão de outros países, a Hungria naturalmente, tem vindo a perder posições, tendo chegado a 21º classificado em Pequim nos Jogos de 2008. Depois de Pequim, a situação melhorou, baseado sobretudo na canoagem e natação. Se a tendência e o investimento público de apoio se mantiver, num futuro próximo, talvez se possa voltar a lutar de forma consistente pelo top 10 países medalhados.

Atualmente podemos tentar dividir os países mais fortes nos jogos olímpicos em:

As superpotências – Estados Unidos, China, Rússia e Grã-Bretanha. As potências: Alemanha, França, Japão e Austrália. Os países em luta pelo Top-10: Coreia do Sul, Itália, Holanda e Hungria.

Os Jogos de Tóquio. Expectativas 

Como se sabe, com um ano de atraso, devido a pandemia, os Jogos Olímpicos 2020 de Tóquio começaram oficialmente no passado dia 23 de julho e vão encerrar no próximo domingo, 8 de agosto.

Antes do início dos Jogos foram feitas diversas previsões sobre o número de medalhas que os nossos atletas, individual e coletivamente, iriam conseguir.

Há 5 anos, no Rio, os atletas húngaros ganharam 15 medalhas: 8 de ouro, 3 de prata e 4 de bronze. Para as olimpíadas de Tóquio, o Comité Olímpico Húngaro (MOB) ”oficiosamente” fixou as suas expectativas em 13 medalhas.

Nas semanas que antecederam o início dos Jogos, foram conhecidas outras previsões, mais otimistas do que as do MOB, previsões que variavam entre as 16-28 medalhas, caso por exemplo da agência noticiosa AP, que previu 9 vitórias e um total de 22 medalhas ou da casa de apostas Betsports, que previu que a Hungria ganharia 16 medalhas – 8 de ouro, 6 de prata e 2 de bronze, ficando no 12º lugar no ranking das medalhas.

As medalhas conquistadas

Até ontem, domingo, 1 de agosto, no ranking das medalhas, a Hungria estava no 13º lugar com 6 medalhas conquistadas: 2 de ouro, 2 de prata e 2 de bronze.

Estamos ainda longe das expectativas do MOB. mas não nos podemos esquecer que a canoagem ainda não entrou em ação. Começa hoje.Temos de esperar pelos próximos dias, mas acreditamos que vamos ultrapassar as 10 medalhas.

Até setembro

Com o mês de agosto e com a chegada da “uborkaszezon” (“época dos pepinos”, em tradução literal), que quer dizer, época de férias – a política – os políticos vão a banhos. Por isso “A Semana” volta em setembro. Até lá.

 

András Gellei, Budapeste, 1 de agosto de 2021

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade