A Hungria pronta para invadir a Transcarpathia?

por LMn

A opinião do perito russo Zharynin, diretor-adjunto do Instituto dos Países da CEI baseado na Rússia, diz ser improvável que a Hungria possa usar a força militar para invadir a Transcarpathia (Kárpátalja).

Pelo menos por enquanto. “Ainda não creio que a Hungria esteja preparada para assumir a parte do país habitada por húngaros sem o consentimento da Ucrânia, ou seja, em operações militares diretas. Não vejo tal perspetiva”, diz o Director-Adjunto Zharynin. Acrescentou que considera improvável que Kyiv e a Ucrânia dêem o seu consentimento voluntário para a cessão dos territórios, relatórios 24.hu.

Também considera “improvável uma decisão da Transcarpathia de se juntar à Hungria”. “Se Kyiv não concordar, defenderá a integridade territorial da Ucrânia pela força”, conclui Tsarihin.

O governo húngaro tem manifestado repetidamente preocupação com os direitos da minoria húngara na Ucrânia. Nestes debates, a lei linguística, que foi originalmente concebida para evitar a opressão russa, recebeu maior proeminência.

Esta lei linguística ucraniana também impede os membros da minoria húngara de aprenderem húngaro no ensino público na Ucrânia. O Parlamento ucraniano adotou a Lei sobre o Funcionamento do Ucraniano como Língua do Estado em 25 de Abril de 2019.

A legislação já foi fortemente protestada por muitas pessoas. Entre elas encontravam-se organizações húngaras em Transcarpathia. A lei torna obrigatório o uso do ucraniano em todas as conversas e cerimónias religiosas, exceto em conversas privadas.

Fonte: alfahír.hu, 24.hu

Original aqui

Também poderá gostar de