A Hungria é o décimo terceiro na lista regional de 42 países com 15,5 microgramas de poluição.

por LMn | MTI

Nenhum país do mundo foi capaz de cumprir o limite de poluição atmosférica em 2021, disse a Organização Mundial de Saúde (OMS) na terça-feira, apresentando os resultados de uma medição que abrange 6475 cidades, 117 países e territórios, informou a MTI.

Apenas 3,4% das cidades inquiridas cumpriram a norma internacional para a qualidade do ar, de acordo com o inquérito, que foi conduzido pela empresa suíça de tecnologia de qualidade do ar IQAir em países de todo o mundo.

Noventa e três cidades tinham níveis de pm2.5 10 vezes acima do limite recomendado.

A OMS recomenda que as partículas com menos de 2,5 microns (pm2,5) não devem exceder 5 microgramas por metro cúbico.

Mesmo concentrações baixas de pm2.5 podem ser muito nocivas para a saúde, salienta a Organização Mundial.

Muitos países estão a fazer progressos significativos na redução de partículas, por exemplo a China, onde foram reduzidos níveis muito elevados, mas há partes do mundo onde a situação é muito pior

– disse Christi Schroeder, Diretora de Ciência da Qualidade do Ar do IQAir.

Na Índia, a situação global agravou-se no ano passado, com Nova Deli a permanecer a capital do ar mais poluído do mundo. Tal como no ano anterior, o Bangladesh foi o país mais poluído em 2021, enquanto o Chade em África, incluído no inquérito pela primeira vez, estreou como o segundo pior.

Na Europa, a pior qualidade do ar foi medida em Montenegro com 35,2 microgramas de partículas com menos de 2,5 microns por metro cúbico. A Hungria é o décimo terceiro na lista regional de 42 países com 15,5 microgramas.

#budapeste #poluição #lusomagyarnews

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade