A chegada dos primeiros húngaros ao Brasil

por LMn

”Pode dizer-se que a imigração húngara no Brasil teve início em 13 de agosto de 1519, quando aportou no Rio de Janeiro János Varga, mestre artilheiro da expedição de Magalhães, que permaneceu treze dias na cidade.

No período colonial, alguns húngaros vieram ao Brasil principalmente como missionários. Em 1750, três jesuítas húngaros aqui desembarcaram: Inácio Szentmárton (matemático e agrimentar), János Szuha e o Padre Németh.

Por volta de 1834, chegaram dois irmãos de nome Hofner, que aqui passaram a ser chamados de Hungria, dando origem a conhecida e respeitada família Hungria”….

Excerto de ”Alma Estrangeira – Pequenas Histórias de Húngaros no Brasil – Processos Identitários”. Copyright 2003 by Judith Vero

Da vivência de Judith Vero, psicóloga brasileira e católica, nascida húngara e judia, surgiu a idéia deste trabalho, que é muito mais do que o relato de uma história pessoal. ‘Alma estrangeira’ fala de imigração, de adaptação a novos costumes, língua e cenário. Mas fala principalmente dos aspectos psicológicos de quando nos defrontamos com o que nos é estrangeiro, em sentido mais amplo. O livro permite várias leituras e será convidativo a vários tipos de leitores. Há os depoimentos, com histórias de vidas de três gerações, curiosas e emocionantes, com as quais muitos brasileiros descendentes de estrangeiros, com certeza, vão se identificar. Há a questão do judaísmo, com a eterna pergunta do que é ser judeu. E há as reflexões teóricas, inspiradas pelo pensamento junguiano, sobre diversos aspectos da questão do estrangeiro, da estranheza, da alteridade, rica c ontribuição para psicólogos, antropólogos e historiadores que se dedicam a essa temática tão atual.

Foto: Sociedade Austro-Húngara (Rio Grande do Sul – BR)

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade