A Batalha de Mohács (1526) e o estabelecimento do principado da Transilvânia e das províncias da Hungria Oriental

por LMn

Batalha de Mohács, (29 de agosto de 1526), derrota decisiva da Hungria, liderada pelo Rei Luís II, pelos Turcos do Império Otomano, liderada pelo Sultão Solimão, o Magnífico. Esta vitória em Mohács marcou a destruição efetiva da monarquia húngara e abriu caminho à dominação dos Habsburgos e da Turquia na Hungria.

Por Tony Bunting – Investigador (Universidade Central de Lancashire)

Para expandir o Império Otomano para o coração da Europa, Solimão teria de conquistar o reino da Hungria. A primeira etapa para alcançar este objetivo foi a captura de Belgrado em 1521. Solimão poderia então utilizar o território sérvio para lançar uma invasão.

Os húngaros sabiam que um ataque estava para vir, mas não podiam ganhar qualquer apoio de outras potências cristãs. O exército de Solimão fez uma travessia incontestável do rio Drava, que demorou cinco dias, enquanto o rei Luís esperava para enfrentar os invasores numa grande planície pantanosa em Mohács. Os húngaros pretendiam confiar no efeito de choque dos seus cavaleiros encouraçados, mas Solimão tinha forças mais equilibradas, incluindo janissários de infantaria armados com arquebuses, cavalaria ligeira sipahi, e formidáveis baterias de canhões.

A carga da cavalaria húngara causou graves baixas à vanguarda otomana, mas os Janissários de elite de Solimão empurraram para trás os húngaros, que também foram despedaçados pelo fogo dos canhões turcos. À medida que os húngaros caíam para trás, foram flanqueados e cercados pela cavalaria ligeira otomana em movimento rápido. A força húngara foi aniquilada. O rei Luís II da Hungria foi atirado do seu cavalo e morto quando tentava escapar à carnificina. Solimão prosseguiu para Buda (10 de setembro), mas depois retirou-se do país, levando consigo mais de 100.000 prisioneiros.

A derrota em Mohács foi um desastre que pôs fim à existência da Hungria como um reino unido independente. Uma guerra civil prolongada (1526-38) acabou por resultar na incorporação dos dois terços central e meridional da Hungria no Império Otomano (1547) e no estabelecimento da Transilvânia e das províncias da Hungria Oriental como um principado autónomo no seio do Império Otomano.

Caretos de Busó: o Carnaval de Mohács na Hungria (HUNGARIKUM II)

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade