1

Hungria: Neve na capital

Budapeste, 30 de novembro de 2023. Transeuntes na neve perto do Castelo de Buda, na rua Pálota.

MTI/Zoltán Máthé




Hungria: número de trabalhadores estrangeiros aproxima-se dos 100.000

O número de trabalhadores estrangeiros a trabalhar na Hungria poderá em breve atingir os 100.000, noticia o portfolio.hu, com base em dados do Serviço Central de Estatística (KSH).

De acordo com estes dados, há atualmente 95.000 estrangeiros a trabalhar na Hungria e o seu número aumenta cerca de 1.000 por mês.

O KSH salienta que o aumento se registou entre os nacionais de países terceiros. Em 2020, o número de estrangeiros a trabalhar na Hungria era de 60 000-70 000; em 2022, o seu número já ultrapassava os 80 000.

O portal refere que, para além da Ucrânia e da Sérvia, os estrangeiros de 15 outros países podem vir trabalhar para a Hungria ao abrigo de um procedimento simplificado.




Bruxelas atribui Denominação de Origem Protegidada a “cebola da Madeira”

A Comissão Europeia incluiu hoje a “cebola da Madeira” na categoria Denominação de Origem Protegida, destacando as práticas tradicionais da produção nas ilhas da Madeira e do Porto Santo e o aroma próprio do bolbo.

Em comunicado, o executivo comunitário destaca o aroma “característico e adocicado, com ligeiras notas a enxofre ou a alho, vegetal e fresco ou terroso, sendo pouco pungente e persistente, mas com intensidade e complexidade médias a elevadas”.

Após cozedura, as cebolas da Madeira ficam mais suaves e com notas a fumo/grelhado ou a caramelo, mantendo a sua intensidade e complexidade.

A produção da cebola da Madeira, lê-se no comunicado, é fortemente dependente do trabalho dos agricultores madeirenses, dado que todas as operações, desde a preparação do “cebolinho”, a transplantação, a realização dos amanhos culturais até à colheita e, na maioria das explorações, também a sua preparação para colocação no mercado, são realizadas manualmente.

Na produção da cebola da Madeira destaca-se, sobretudo, a freguesia do Caniço (ilha da Madeira), que assegura a maior parte do abastecimento regional e onde anualmente, desde 1997, é realizada a “Festa da Cebola” para promover o produto tradicional e preservar o modo particular de produção.

Também na ilha do Porto Santo, recentemente reconhecida como Reserva da Biosfera da UNESCO, a cultura está abrangida pelo objetivo estratégico de salvaguardar, valorizar e otimizar os recursos agrícolas e culturais da ilha.




A Waberer’s planeia uma base logística em Debrecen

A empresa de transportes Waberer’s anunciou planos para construir uma base logística de mais de 20.000 m2 em Debrecen, de acordo com um relatório da agência noticiosa estatal MTI.

No anúncio publicado no site da Bolsa de Valores de Budapeste, a Waberer’s disse que a sua unidade KDI Property tinha assinado um acordo de pré-compra para um lote de 57.000 m2 numa zona industrial da cidade. O acordo final de compra e venda está sujeito a condições técnicas e financeiras adicionais, acrescentou.

A KDI Property planeia financiar a compra do terreno e a construção da base com os seus próprios recursos, financiamento externo e uma subvenção do Ministério dos Negócios Estrangeiros e do Comércio. A KDI Property recebeu uma proposta não vinculativa para a subvenção, que será disponibilizada depois de autorizada pelo governo e de cumpridas as condições contratuais.

“Com o novo armazém, poderemos também satisfazer as necessidades logísticas dos grandes projectos automóveis em construção na região de Debrecen, bem como dos seus fornecedores”, declarou Zsolt Barna, Presidente do Conselho de Administração da Waberer.

Estão em curso em Debrecen grandes fábricas do fabricante alemão de automóveis BMW e do fabricante chinês de baterias CATL.

Barna referiu que a Waberer deverá concluir uma base logística de 47 000 m2 em Ecser, nos arredores da capital, no primeiro semestre de 2024.




Rio anuncia plano de contingência contra efeitos de ondas de calor

Pontos para hidratação foram espalhados pela cidade

As intensas ondas de calor levaram a prefeitura do Rio a instalar pontos de hidratação nas unidades de saúde da capital. Os atendimentos começaram nesta segunda-feira (27) e vão seguir até março do ano que vem. Essa é uma das medidas do Plano de Contingência da prefeitura do Rio para minimizar os impactos das ondas de calor na população, anunciado por Daniel Soranz, secretário municipal de Saúde, pela secretária do Meio Ambiente, Tainá de Paula, e pelo chefe-executivo do Centro de Operações do Rio (COR), Marcus Belchior.

“Os locais [de atendimento] estão no site da secretaria municipal de saúde. São 100 pontos de hidratação oral e hidratação venosa nas clínicas de famílias e nos centros municipais de saúde”, contou Daniel Soranz em entrevista à Agência Brasil.

A desidratação é uma grande preocupação, principalmente, em dias de calor intenso como os registrados neste mês. No período, as unidades municipais de saúde registraram aumento nos casos de pessoas atendidas por falta de hidratação adequada.

De acordo com os números da rede municipal de saúde foi registrado um aumento expressivo na média semanal de atendimentos a doenças causadas pelo calor ou passíveis de agravamento em altas temperaturas. Ao todo, foram 1.121 notificações entre os dias 8 e 15 de novembro, o que representou alta de 51% em relação aos sete dias anteriores.

“O cálculo abrange os diagnósticos de mal-estar e fadiga; hipotensão (pressão baixa); efeitos do calor e da luz; síncope e colapso; e edema. O diagnóstico de mal-estar e fadiga, por exemplo, somou 667 ocorrências no período mencionado, com recorde diário de atendimentos no dia 8 (166). Vila Kennedy [bairro da zona oeste] registrou o maior número de ocorrências da enfermidade por região (274), seguida de Madureira (56) e Rocha Miranda (45) [os dois na zona norte]”, informou a prefeitura do Rio.

O Super Centro Carioca de Saúde, em Benfica, na zona norte do Rio, também vai fazer atendimentos. O local e as unidades de saúde estão disponíveis para atender qualquer pessoa que tenha algum sintoma de estresse por calor, fraqueza ou dor de cabeça.

Para o secretário, o número de pontos de atendimentos é suficiente porque a maior parte dos pacientes já é atendida pela rede de unidades de saúde. Segundo Soranz, o que a secretaria está fazendo é estruturar melhor esse atendimento, revisando os protocolos para hipertermia, queimadura de sol, descompensação, insuficiência cardíaca e outros cuidados necessários com calor intenso.

“É na verdade uma grande atualização clínica para os profissionais de saúde da rede municipal que já fizeram muitas hidratações e já trabalharam em epidemias de dengue anteriores, mas que é sempre bom a gente estruturar e atualizar cada vez mais”, completou.

Quantidade de água

“A gente precisa consumir, pelo menos, 35ml por quilo de peso. Uma pessoa de 60 quilos precisa ingerir pelo menos dois litros de água por dia, de 85 quilos pelo menos 3 litros de água por dia”, sugeriu o secretário de Saúde, destacando ainda que é importante estar sempre acompanhado de uma garrafa de água.

Crianças e idosos são os que mais preocupam as autoridades de saúde nos casos de desidratação. “Muitas vezes a mãe não percebe que aquela criança, que não fala porque ainda é um bebê, e enrolada em paninhos, essa criança desidrata muito rápido. A gente teve mais de dez internações em crianças com sintomas de desidratação, cinco delas precisaram de internação hospitalar, uma situação crítica para as crianças e os idosos que também desidratam mais rápido. Tem que ficar muito atento a algum tipo de deficiência que a pessoa não consiga expressar que está com sede”, disse,

Soranz acrescentou que a maior parte das internações e atendimentos relacionados ao calor está ligada a hipertensão, diabetes e insuficiência cardíaca. “É preciso ficar muito atento na utilização dos medicamentos regulares”, disse, destacando que devem ser evitadas comidas pesadas e dar preferência a frutas e legumes.

“É essencial mudar a alimentação para facilitar o trabalho do corpo na digestão e evitar a sensação de aumento de calor”, disse.

O armazenamento de alimentos também deve ter um cuidado especial em períodos de temperaturas elevadas. “No calor intenso os alimentos se deterioram mais rápido. Há proliferação de bactérias e de fungos com uma velocidade muito maior. É preferível levar os alimentos sempre em bolsas térmicas”.

O secretário recomendou ainda à população evitar a ingestão de bebidas alcoólicas e de refrigerantes e o consumo de substâncias ilegais ou drogas. “Isso pode de fato causar um problema seríssimo para o corpo e morte nesse período, então requer uma atenção muito especial dos dependentes químicos, principalmente os alcoolistas.”

Nos casos de ressecamento dos olhos e de narinas, por baixa umidade, a recomendação é usar soro fisiológico. “Sempre no olho e nariz o ideal é utilizar uma solução fisiológica, um umidificador ou um balde com água no ambiente também podem ajudar”.

Roupas

Para reduzir o desconforto e problemas de saúde, o recomendável é a utilização de roupas leves e bonés em dias de calor intenso. A prefeitura já autorizou por meio de decreto, o uso de bermudas para os setores municipais e motoristas de táxis, ônibus, vans, kombis e credenciados. “Isso não é uma brincadeira. Não é um luxo. Utilizar roupas leves, principalmente, no seu trabalho do dia a dia pode evitar muito estresse térmico. A principal fonte de troca de calor da gente com o meio ambiente é a pele.”

Distribuição de água

O Plano de Contingência inclui a distribuição de água e isotônicos, roupas, chinelos e protetor solar para a população e situação de rua nos pontos de atendimento, que funcionarão também como áreas de conforto térmico para populações mais vulneráveis. “As bebidas isotônicas são importantes para o período de maior calor, mas não devem ser utilizadas de maneira corriqueira pela população, especialmente, para quem tem hipertensão arterial”, recomendou.

Em dias de temperatura acima de 45°C, a secretaria recomenda que a população evite atividades físicas e a realização de trabalhos ao sol. Para além de 50°C, a secretaria vai avaliar a suspensão de determinadas atividades e permanência em alguns locais. “Esses protocolos ainda estão em fase de fechamento. A ideia é que a gente consiga concluir todos eles antes do dia 22, início do verão, mas a expectativa é que a gente já comece a ter parâmetros claros do que vai ser fechado ou o que não vai e como isso vai funcionar.”

De acordo com o secretário, no caso de suspensão de atividades de trabalho, a maioria das empresas já utilizam protocolos que tratam do tema. “É importante a gente reforçá-los de maneira uniforme para todo mundo”, contou.

Soranz alertou para o perigo de usar bronzeadores solares, especialmente os não registrados, porque provocam queimaduras na pele. “Até brigam comigo, falando que vamos acabar com os bronzeadores solares nas lajes e favelas do Rio. É muito importante que a gente use produtos seguros e que protejam a pele da exposição ao sol e evite queimaduras. Tivemos cinco pacientes em situações muito graves devido à exposição ao sol porque  usarem bronzeadores”, afirmou.

Em todo o período de calor, o melhor é usar filtro solar. É fundamental para qualquer exposição ao sol mas também na incidência de raios solares que não sejam diretamente, mas podem causar muitos danos à pele. O efeito tardio dessa exposição é o câncer de pele que ainda é prevalente no Rio de Janeiro.”

Animais

Outra orientação é para os cuidados com os animais nos dias de calor intenso. “Evitar passeios com os animais das 9h às 16h para que a pata do animal não tenha contato com a superfície do solo em alta temperatura. Preferir sempre o passeio em grama e interno, por isso os parques são fundamentais. Troque regularmente a água do seu pet. A água fresca é fundamental também para os bichinhos. Se vai levar em uma gaiola é bom ver se o ambiente está ventilado para a troca de calor e evitar qualquer tipo de roupa que impeça o animal de fazer a troca de calor e não deixar as casinhas no sol. Cuidado também com correntes de metal porque elas podem causar queimaduras nos animais”.

Doenças

Soranz acrescentou que por causa de possíveis contaminações da água em períodos de chuva, todas as doenças infecto-parasitárias são preocupantes no período do verão, principalmente, quando se trata de leptospirose, hepatite A, e intoxicações alimentares provocadas por alimentos estragados em temperaturas elevadas. “Outra preocupação é com as arboviroses devido a maior proliferação de mosquitos neste período de verão, como dengue, zika e chikungunya”, completou.

Conforme o secretário, em período de altas temperaturas a proliferação dos mosquitos Aedes aegypti pode aumentar em até cinco vezes. Além disso, no tempo seco há o risco de queimadas na vegetação e incêndios.




O Castelo de Almásy, em Gyula, na Hungria transforma-se em castelo mágico de Natal

Uma série de programas de Advento intitulada Castelo Mágico de Natal terá início no Castelo Almásy, em Gyula, a 2 de dezembro, informou na sexta-feira o operador do castelo, Erkel Ferenc NKft.

O parque do castelo acolherá dois pontos de fotografia e um mercado de Natal aos sábados, de 2 de dezembro a 7 de janeiro. No dia 2 de dezembro, será apresentado um espetáculo de Natal pelo Grupo de Marionetas Bizseri; no dia 9 de dezembro, Hunor Szabó interpretará canções de Natal, seguido de um concerto pelo Coro de Câmara da Escola de Arte Elementar Erkel Ferenc, em Gyula. Em 16 de dezembro, o Círculo Dramático Calliope apresentará o Conto de Natal e, em 23 de dezembro, o Coro Misto de Erkel Ferenc dará um concerto.

A árvore de Natal do castelo estará no conservatório, onde os visitantes encontrarão também um quadro de uma aldeia de inverno e um quebra-nozes gigante.

 

Créditos: turizmus.com




Braga: A Arca de Noé das Sementes

Banco Português de Germoplasma Vegetal (BPGV) tem como missão colher, conservar, caracterizar, documentar e valorizar os recursos genéticos, de modo a assegurar a diversidade biológica e a produção agrícola sustentável, atual e futura, através de dois objetivos estratégicos:

  • A conservação in situ e ex situ dos recursos genéticos;
  • O apoio à implementação de políticas relativas à proteção da biodiversidade;

Foi com o propósito de se tornar uma estrutura de conservação da diversidade genética vegetal que o BPGV nasceu em Braga, em 1977. O seu caminho prosseguiu guiado pelas linhas de orientação de importantes estruturas internacionais como: a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), o International Board for Plan Genetic Resources (BPGR), atualmente Bioversity International, e no âmbito da implementação do Programa de Conservação dos recursos Genéticos Vegetais do Mediterrâneo.

O Banco Português de Germoplasma Vegetal é hoje uma das maiores infraestruturas de conservação de recursos genéticos do mundo, guardando uma coleção de mais de 47 mil amostras de 150 espécies e 90 géneros de cereais, plantas aromáticas e medicinais, fibras, forragens, pastagens e culturas hortícolas.

O Segundo Relatório sobre a Situação dos Recursos Fito-genéticos do Mundo, relatório da FAO (Food and Agriculture Organization) publicado em 2010, refere que Portugal, e muito especificamente o BPGV, conserva a 2ª maior coleção de milho, a nível mundial. É, ainda, um dos 170 bancos do mundo com mais de 10 000 variedades conservadas, colocando-o nos 10% de topo.

A conservação de uma ampla base de agro-biodiversidade é fundamental no desenvolvimento sustentável dada a sua relevância para a saúde pública, a segurança alimentar, a economia dos povos e a proteção do ambiente, sendo objeto de uma transversalidade de interesses que envolvem, entre outras, as áreas da Agricultura, Ambiente, Ciência e Economia.

A biodiversidade para a alimentação e agricultura é um dos recursos naturais mais importantes para a humanidade. Conservá-la não é uma opção mas sim uma necessidade e uma responsabilidade a nível global mas também de cada país em particular.

A valorização dos recursos endógenos é hoje uma aposta nas estratégias de desenvolvimento local, a fim de garantir a fixação das populações rurais em territórios outrora povoados, garantindo novas formas de ruralidade. São exemplos destas estratégias a introdução de produtos de alta qualidade ou mesmo os vários produtos com denominação de origem protegida, indicação geográfica com origem nacional.

Importa não esquecer que os recursos genéticos – o património genético constituído pelos recursos tanto silvestres quanto domesticados, desempenham um papel fundamental e crescente em muitos sectores económicos. Um conjunto alargado de intervenientes, incluindo investigadores do mundo académico e empresas de diferentes sectores da indústria, horticultura, controlo biológico, cosmética, alimentação e bebidas, biotecnologia e indústria farmacêutica, utilizam recursos genéticos para fins de investigação e desenvolvimento e inovação.

Com os olhos postos no futuro e com a consciência de que novos desafios surgirão, o BPGV assume a sua confiança e responsabilidade na partilha de conhecimento, como contribuição para um mundo assente na sustentabilidade dos recursos biológicos de todos nós.

 

Créditos: INIAV




Csaba Dömötör (Hungria): todos devem participar no referendo!

O Secretário de Estado Parlamentar do Gabinete do Primeiro-Ministro encorajou as pessoas a participarem na consulta nacional numa declaração em vídeo publicada na página do Fidesz no Facebook, no domingo.

Csaba Dömötör recordou que a consulta nacional foi lançada há poucos dias. Bruxelas disse que tudo isto é infundado e que as perguntas da consulta se baseiam em decisões e propostas da UE. Por isso, seria muito melhor que estas questões não fossem descartadas, mas sim abertamente incluídas no debate, disse.

O PE lamenta que a oposição húngara esteja a “torpedear” a consulta de várias formas, quer tentando recolher os questionários para que não possam ser devolvidos, quer fazendo campanha aberta contra a consulta na sessão plenária de Bruxelas.

Estamos num período extraordinário, um período de guerra e de crise económica, e num momento como este é particularmente importante defender a soberania nacional por todos os meios possíveis”, sublinhou.

“É por isso que encorajamos toda a gente a participar na consulta”, disse o Secretário de Estado.

Numa publicação no Facebook, disse ainda que Bruxelas e “a esquerda do dólar” não gostam do facto de a Hungria não desistir, não pedir guerra, propaganda de género e migrantes.




Economia informal paga, mas dinheiro não chega aos cofres do Estado na Guiné-Bissau

Bissau, 26 nov 2023 (Lusa) – A economia informal na Guiné-Bissau é alvo de várias cobranças e paga-as, mas o dinheiro não chega aos cofres do Estado, realidade que o Governo quer contrariar com um programa de incentivo à legalização, avançou o primeiro-ministro, Geraldo Martins.

O chefe do executivo guineense, em funções há pouco mais de três meses, adiantou, numa entrevista que a Lusa divulgará na integra esta segunda-feira, que o Governo está a preparar um programa de incentivo da formalização dos informais, mas considerou que o problema não é apenas de falta de pagamento de impostos.

Desde o saldo para telemóvel à fruta, vende-se de tudo nas ruas da Guiné-Bissau sem fatura, o que não significa que este comércio não pague, segundo o primeiro-ministro, que reconhece que o dinheiro fica, muitas vezes, com quem faz as cobranças.

O problema dos informais, como disse, “é que pagam, mas pela informalidade, os pagamentos que fazem, muitas vezes, não são pagamentos legais no sentido de que não são pagamentos que chegam aos cofres do Estado”.

“Há muitos informais que nos dizem que são feitas várias cobranças ao mesmo tempo, mas eles próprios têm noção que estão a pagar mas que esses pagamentos não chegam aos cofres do Estado”, afirmou.

A explicação do chefe do executivo é que essas cobranças são feitas por “entidades que se aproveitam, certamente, de alguma fragilidade da parte do próprio Estado para fazerem ou cobranças ilegais ou cobranças abusivas”.

Estas são algumas das razões pelas quais a Guiné-Bissau é um dos países que tem a menor taxa de pressão fiscal do mundo.

“Nós só conseguimos ir buscar, em termos de receitas fiscais, nove por cento do nosso Produto Interno Bruto (PIB), anualmente”, concretizou o primeiro-ministro.

O programa do Governo quer fazer passar a taxa de pressão fiscal de 9% para 15% “até ao final da legislatura” e, uma das medidas previstas, é “trabalhar com esses informais, primeiro para tentar puxá-los para a formalidade, porque eles próprios, sendo operadores formais, têm várias vantagens”.

“Os informais não têm acesso a crédito bancário, se vão a um banco não conseguem porque não têm garantias, por exemplo, para apresentar. O facto de serem formais, de terem uma contabilidade própria e organizada já é uma vantagem, podem ter acesso aos bancos e podem passar a pagar de acordo com aquilo que são as regras para os pagamentos de taxas, impostos etc”, sustentou.

O Governo acredita que será possível convencer os informais, também, com os mecanismos que o Estado irá criar e que “vão gradualmente poder utilizar, para serem operadores formais que participam no processo de crescimento económico e da produção da riqueza”.

HFI // ANP




Muitos húngaros viajam no Natal, com as feiras do Advento e os spas a atraírem estrangeiros

Na primeira quinzena de novembro, o número de dormidas em estabelecimentos de alojamento na Hungria aumentou quase 15% em termos anuais, enquanto as taxas de ocupação também subiram. Mantendo a dinâmica, os dados do NTAK apontam para um novo crescimento no resto do ano.

Operadores turísticos convidados a participar na campanha de inverno da MTÜ

De acordo com o Centro Nacional de Informação Turística, os dois últimos meses do ano foram caracterizados por um elevado nível de viagens. As pré-reservas aumentaram 4,5% até agora em novembro e 3,6% em dezembro, em comparação com a mesma altura do ano passado.

Os estabelecimentos de alojamento registaram mais de 4 milhões de dormidas no NTAK, em comparação com 3,9 milhões no ano passado. A maioria destas noites será passada no campo, enquanto o número de noites pré-reservadas em Budapeste é um quarto superior ao registado no mesmo período de 2022.

No final do ano, três quartos dos viajantes nacionais continuarão a escolher um destino rural, enquanto dois terços dos viajantes estrangeiros reservarão alojamento na capital. Os dados mostram que, para além de Budapeste, Bük-Sárvár e Hévíz estão entre os destinos mais visitados.

 

Créditos: turizmus.com