1956. “Szabadság, szerelem (Children of Glory)” O Banho de sangue de Melbourne (em húngaro Melbourne-i vérfürdő)

por LMn

“Children of Glory (em húngaro: Szabadság, szerelem), é um filme de 2006 dirigido por Krisztina Goda. Children of Glory comemora a Revolução da Hungria de 1956 e o jogo de pólo-aquático “Blood in the Water”. Tendo lugar em Budapeste e nos Jogos Olímpicos de Melbourne em outubro e novembro daquele ano (1956), o filme leva os espectadores à paixão e à tristeza de uma das revoltas populares mais dramáticas do século XX.

No mesmo ano, os tanques soviéticos esmagavam violentamente a Revolução na Hungria, a equipe húngara de pólo aquático estava a vencer a URSS na piscina olímpica em Melbourne, no que às vezes é descrito como a partida de pólo aquático mais sangrenta da história.

Enquanto contavam a história de 1956 em parte por meio de personagens fictícios, os cineastas recriaram simultaneamente muitos dos principais eventos públicos da Revolução, incluindo as grandes manifestações e os combates nas ruas de Budapeste.

Em 1956, Karcsi Szabó (Iván Fenyő) era um atleta estrela da Universidade de Budapeste e fora nomeado capitão da equipe nacional de pólo aquático que representaria a Hungria nas Olimpíadas realizadas naquele verão na Austrália. No entanto, muitos compatriotas de Szabó tinham mais coisas em mente; A Hungria havia caído sob o domínio opressor da União Soviética, e um número crescente de húngaros exigia independência. Um dia, Szabó e seu amigo Tibi (Sándor Csányi) testemunham uma manifestação liderada por Viki Falk (Kata Dobó) exigindo o fim do regime soviético na Hungria.

Embora inicialmente Szabó se sinta mais atraído pela beleza de Falk do que pela mensagem dela, por meio de suas tentativas de cortejá-la também ele desperta para a necessidade de revolução; no entanto, a revolta popular é esmagada pela máquina de guerra soviética e as coisas pioram para o povo húngaro. Quando Szabó e seus companheiros descobrem que a Hungria competirá contra a União Soviética no torneio masculino de pólo aquático nas próximas Olimpíadas, eles veem uma oportunidade de uma vitória simbólica sobre seus opressores. . . se receberem permissão para sair do país para competir.

Fonte: wikipedia

Banho de sangue de Melbourne (em húngaro Melbourne-i vérfürdő) foi uma partida de polo aquático entre Hungria e a URSS nos Jogos Olímpicos de 1956. E é possivelmente a partida mais famosa da história do polo aquático.

A partida foi jogada com o pano de fundo na Revolução Húngara de 1956 e culminou com a derrota da URSS ante a Hungria por 4-0. O nome que recebeu a foi dado pelos meios-de-comunicação depois que o jogador húngaro Ervin Zádor saiu da água ao final da partida com sangue jorrando por um corte embaixo de seu olho esquerdo, golpeada pelo soviético Valentin Prokopov.

A partida “Blood in the Water” (húngaro: melbourne-i vérfürdő – Blood bath of Melbourne; Russo: Кровь в бассейне, romanizado: Krov ‘v basseyne, lit.’ Blood in the swimming pool ‘) foi uma partida de pólo aquático entre a Hungria e a URSS nos Jogos Olímpicos de Melbourne em 1956. A partida ocorreu em 6 de dezembro de 1956, tendo como pano de fundo a Revolução Húngara de 1956 e viu a Hungria derrotar a URSS por 4-0. O Título do jogo foi dado depois que o jogador húngaro Ervin Zádor emergiu nos últimos dois minutos com sangue escorrendo de seu olho após ser socado pelo jogador soviético Valentin Prokopov.

Revolução Húngara de 1956

As tensões já estavam altas entre as equipes de pólo aquático húngara e soviética, pois os soviéticos aproveitaram o controle político da Hungria para estudar e copiar os métodos de treino e táticas dos campeões olímpicos húngaros.

Então, em 23 de outubro de 1956, uma manifestação de estudantes da Universidade de Tecnologia e Economia de Budapeste transformou-se num levantamento contra o governo em Budapeste. A 1 de novembro, os tanques soviéticos começaram a avançar para a Hungria e de 4 a 10 de novembro as forças começaram a suprimir a revolta com ataques aéreos, bombardeios de artilharia e ações de infantaria de tanques.

Na época, a equipe húngara de pólo aquático estava num campo de treino nas montanhas no norte de Budapeste. Eles puderam ouvir o tiroteio e ver o fumo a subir. Os jogadores eram os campeões olímpicos; com os Jogos Olímpicos de Melbourne a 2 meses de distância, eles foram transferidos para a Checoslováquia para evitar serem envolvidos na revolução. Os jogadores só souberam da verdadeira extensão da revolta e da repressão subsequente depois que chegarem à Austrália e todos estavam ansiosos por notícias de amigos e familiares.

No início das Olimpíadas, a revolução húngara foi reprimida e muitos jogadores viram as Olimpíadas como uma forma de salvar o orgulho de seu país. “Sentimos que estávamos a jogar não apenas por nós mesmos, mas por todo o nosso país”, disse Zádor após o jogo. A partida foi disputada em frente a uma multidão partidária reforçada por húngaros expatriados (muitos dos quais já haviam estado na arena de boxe para ver o húngaro László Papp) bem como australianos e americanos, dois adversários da União Soviética na Guerra Fria.

Ler mais

Print Friendly, PDF & Email

Também poderá gostar de

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Aceitar Ler Mais

Privacidade